Siemaco SP coordena paralisação geral na SERPRO

14/10/2019



De acordo com a matéria divulgada nesta segunda-feira (14), o Siemaco São Paulo realiza uma paralisação geral na SERPRO em razão da falta de pagamento da PPR (Programa de Participação nos Resultados).

Diálogo sempre foi uma das principais ferramentas de trabalho do SIEMACO São Paulo, para que as Convenções Coletivas de Trabalho sejam respeitadas pelas empresas. Mas quando não há acordo e o trabalhador é prejudicado, o sindicato também sabe usar a força e união da categoria para que as coisas funcionem. É o caso da Atlantis Serviços Terceirizados, que possui cerca de 50 funcionários na área de limpeza dentro do Serviço Federal de Processamento de Dados (SERPRO). Após dois meses de inadimplência com o pagamento do Programa de Participação nos Resultados (PPR) e inúmeras tentativas de acordo, foi feita na manhã desta segunda-feira (14) uma paralisação no local.

O assessor Alexandre Catozzo, juntamente com os diretores do SIEMACO-SP, Sérgio Satomi e Daniela de Sousa, reuniu os trabalhadores para chamar a atenção da SERPRO e da Atlantis pelo não cumprimento do contrato de trabalho, reivindicando o pagamento imediato do PPR.

“A gente encaminhou um ofício para a empresa dia 15 de setembro, depois de um mês de atraso no pagamento, e não obtivemos retorno. Depois, convidamos a Atlantis para conversar na subsede do SIEMACO-SP, em Santo Amaro, onde ficou acordada a quitação do débito, mas não foi cumprida. Resolvemos então paralisar o serviço”, explica a diretora Daniela.

O diretor Sérgio explica que na parte da tarde os trabalhadores devem voltar aos seus postos, pois novamente a empresa prometeu pagar os débitos. “A Atlantis afirmou que vai regularizar tudo dia 21 de outubro, na próxima segunda-feira. Se não pagar, paramos de novo. E aí buscaremos nosso jurídico para saber que ações podemos tomar para que tudo seja acertado. O trabalhador não pode ser prejudicado dessa forma”, diz.

Fonte: Portal do Siemaco SP