Salário médio das mulheres cresceu 2,6% em 2017

23/10/2018



Ainda que a diferença salarial entre homens e mulheres persista, o salário médio real delas foi superior ao deles em 2017. Segundo a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho, o rendimento médio das trabalhadoras foi de R$ 2.708,71 no ano passado, o que equivale a alta de 2,6% em relação a 2016. Já o salário médio masculino subiu 1,8%.

No ano passado, o rendimento das trabalhadoras evoluiu em quase todos os níveis de escolaridade e faixas etárias. As profissionais com doutorado tiveram maior aumento: 4,78%, o equivalente a R$ 527,52, em relação a 2016; e as trabalhadoras com mais de 65 anos tiveram aumento de 3,54% no rendimento, o equivalente a R$ 244,27.

Em queda

Segundo o Ministério do Trabalho, a diferença salarial entre homens e mulheres vem diminuindo a cada ano. A remuneração média das mulheres em 2017 correspondia a 85,1 % do salário dos homens. Em 2016, o rendimento feminino representava 84,4% do masculino e, em 2015, 83,43%.

“Apesar da melhora registrada em 2017, ainda há muitos desafios que precisam ser enfrentados, sobretudo no que se refere ao acesso das mulheres a postos de trabalho mais bem remunerados e garantia de recebimento de salários equivalentes pelo desempenho da mesma ocupação”, disse o coordenador-geral de Cadastros, Identificação Profissional e Estudos do Ministério do Trabalho, Felipe Pateo.

Mesmo sendo considerada uma área masculina, o setor extrativista mineral foi um dos poucos em que o salário das mulheres foi maior que o dos homens. No ano passado, a remuneração média das trabalhadoras no setor era de R$ 6.251,60 e a dos homens, de R$ 6.226,45.

Fonte: DestakJornal